5 dicas para dar uma boa aula na escola dominical

5 dicas para dar uma boa aula na escola dominical

Dicas práticas para professores de Escola Bíblica Dominical

1) Dê voz aos seus alunos

Algumas igrejas dão a liberdade para o professor da EBD escolher os assuntos a serem tratados em sala. Outras preferem adotar temas que sejam estudados em todas as salas. De qualquer forma, quero compartilhar algo que vai te ajudar muito a integrar mais seus alunos às suas aulas: Faça uma pesquisa na sua classe. A pesquisa deve conter questões que te ajudem a identificar o nível espiritual dos seus alunos e também espaço para sugestões sobre temas e sobre como eles gostariam que fossem as aulas. Isso dará ao professor uma ideia ampla sobre que tipo de linguagem usar em sua classe, que tipo de recursos seriam mais proveitosos, que tipo de abordagem usar, etc. Dar voz aos alunos é o “pulo do gato” para ter uma classe mais envolvida com as aulas.

2) Seja dinâmico em suas aulas

Quando digo dinâmico quero dizer que devemos variar as formas que damos as aulas. É muito cômodo para o professor adotar apenas um método ou sistema e aplicá-lo em todas as aulas. Mas variar torna a aula muito mais interessante. Os alunos vão desejar estar ali. Hoje temos uma gama muito grande de formas de passar o conteúdo, seja com uso de tecnologia (computador, Datashow, filmes, músicas, etc.), seja com dinâmicas em grupo e outras variações pequenas dentro das aulas tradicionais que fazem muita diferença. Em uma das minhas aulas sobre genealogias, ao invés de ficar lendo aquele texto chato de se ler, fiz com que cada personagem fosse feito por um aluno. Assim, formamos uma genealogia viva na sala e aprendemos que Adão conviveu com Noé e as informações sobre a criação puderam ser passaras oralmente sem modificações! Os alunos amaram. Isso foi muito mais produtivo do que usar o meio tradicional apenas de leitura e explicação verbal. Seja criativo. Não fique em sua zona de conforto.

3) Use a curiosidade a seu favor

A curiosidade é algo muito forte no ser humano. Você já reparou que quando está terminando um capítulo de uma novela ou série, o autor sempre procura te deixar curioso para que você deseje voltar no outro dia para ver o que vai acontecer? Essa é uma técnica muito poderosa. Sempre que for estudar algum tema, tente incluir questões curiosas, polêmicas. Mas sempre deixe ao final da aula um gostinho de quero mais. Use a curiosidade a seu favor. Em uma de minhas aulas em Gênesis, estávamos estudando a vida de Abraão. Logo ao final da aula, usei a curiosidade para aguçar a vontade de meus alunos, perceba: “Vocês já perceberam que vários homens de Deus tiveram mais de uma esposa? Abraão, Jacó, Davi, Salomão, etc. Será que Deus aprovava isso? Como explicar esse fato na Bíblia? E hoje, pode o cristão ter mais de uma esposa? Mas só saberemos essas respostas na próxima aula”. Não preciso nem dizer que a classe soltou um “ahhhhh, explica agora”.

4) Abuse das perguntas

Geralmente um professor é aquele que dá as respostas. Mas as perguntas motivam muito mais do que as respostas. As perguntas, além de aguçar a nossa curiosidade, também provocam em nós o desejo do saber. Sempre busque levantar perguntas as mais curiosas e polêmicas possíveis. Isso ajuda a manter o ânimo e a motivação em alta. Os alunos tendem a ficar desmotivados com aquilo que é óbvio. Por isso, provoque com perguntas fortes, nada óbvias e que você saiba que eles não saberão a resposta com facilidade. Complique para depois simplificar e coroar a atenção que lhe deram com uma resposta cheia de fundamentos bíblicos e que eles irão entender. Em certa aula onde eu explicava acerca da arca de Noé, depois de aguçar a curiosidade na aula anterior (conforme expliquei no ponto três), trouxe várias perguntas complicadas e intrigantes para a aula. Onde estavam os dinossauros na arca de Noé? Será que esses animais existiram mesmo e foram na arca? E mais: será que eles são mencionados na Bíblia? Não preciso nem dizer que essa aula foi especial, os alunos nem piscavam! Evidentemente que o professor precisa estar preparado e colocar apenas questões que consiga explicar de forma que o público alvo consiga entender.

5) Seja aplicado em sua preparação

Nenhuma técnica dará certo se a peça principal, o professor, não estiver preparado. Além da preparação espiritual de uma vida diária com Deus, o professor da Escola Bíblica Dominical precisa se preparar em como passar o conteúdo, em como ser compreendido, em como se portar, em como comunicar a matéria, etc. Isso não é tarefa fácil. Não foi para mim, e tenho certeza que não o é para nenhum professor de EDB. Mas é possível. Caso você tenha dificuldades nessa preparação e esteja um tanto quando perdido, hoje, graças a Deus, temos muitas formas de preparação ao nosso alcance. Eu conheci mês passado um material espetacular e muito proveitoso que visa formar Professores e Líderes para Escola Bíblica Dominical para um melhor exercício desse dom. Caso queira conhecer e ver mais detalhes, clique aqui.

E para finalizar, deixo o que a Palavra de Deus nos ensina sobre esse nosso ministério de ensino na igreja do Senhor Jesus: “se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo” (Romanos 12:7).

Se gostou compartilhe!

The following two tabs change content below.
Sou o pastor Júlio Fonseca da Igreja de Deus no Brasil no município de Anhanguera - Go. Procuro ser útil na evangelização por meio deste meio de comunicação. Com paz e amor segundo nosso Senhor!

Outras postagens por Pr. Julio Fonseca (veja tudo)

Leave a Comment