Deus nunca erra

Deus nunca erra
Deus nunca erra

Deus nunca erra

Descrição: Adaptação do conto “Deus nunca erra” para dramatização, mesmo tendo as características de infantil os adultos vão gostar.

RAKEL – Romanos 8:28. E sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus
MARY – Pera aí, RAKEL.
RAKEL – O que foi?
MARY – É que eu estava querendo uma coisa diferente. Tipo… UMA HISTÓRIA
Alguém mais quer ouvir uma historinha (perguntando para as crianças)
RAKEL – Ah, eu sei uma historia bem legal. DEUS NUNCA ERRA!
MARY – Gostei. Você conta pra gente?
RAKEL – Claro! E os Juniores vão me ajudar.
MARY – Então vamos fazer silêncio, que a história vai começar
RAKEL – Era uma vez…um reino muito distante onde havia um rei muito inteligente e admirado por todas as pessoas do seu país.
MARY – E onde esse rei morava?
RAKEL – Num castelo cheio de soldados. Mas acontece que esse rei tão inteligente não acreditava em Deus e nem em seu amor
MARY – É mesmo? E as outras pessoas do castelo acreditavam?
RAKEL – Não, só um súdito chamado…
MARY – Qual era o nome dele?
RAKEL – Ele se chamava Jônatas e sempre falava do cuidado de Deus pra conosco.
Mas sabe, crianças, o rei não acreditava e a maioria das pessoas do palácio também não.
Havia até umas pessoas que ainda enchiam a cabeça do rei contra Jônatas.

REI – Mas será possível! Logo hoje que tínhamos planejado de ir à floresta caçar, começa a chover!
CLÁUDIA – Oh, Majestade, eu lamento muito este fato!
MANOELA – Essa chuva não veio em boa hora.
JÔNATAS – Meu Rei, não fique irritado. A chuva é um presente de Deus para nós.
REI – Por favor, é muito cedo pra começar com essa conversa sobre Deus.
ALEXANDRE – Não, ele só sabe falar sobre isso!
MANOELA – É verdade! Em tudo ele coloca Deus no meio.
CLÁUDIA – Pra ele, se chove é porque Deus quis, se não chove também. Ninguém aguenta mais!
JÔNATAS – Claro, pois Deus…
REI – Eu pedi pra parar. Já disse que conheço toda essa historia.
JÔNATAS – Mas é que…
HENRIQUE – Jônatas, obedeça ao Rei!
JÔNATAS – Tudo bem, só que: “Tudo o que Deus faz é Perfeito. Ele Nunca erra!”
CLÁUDIA – Você é mesmo muito inconveniente, não acha? O Rei está chateado e você ao invés de ajudar faz é piorar!
HENRIQUE – Calma pessoal, não vamos começar a discutir logo a essa hora da manhã.
MANOELA – Não, é que ele acha que pode falar mais alto que todo mundo aqui!
CLÁUDIA – Ah,é? Então continua, crentinho… No final a gente vai ver se seu Deus pode deter a autoridade de um grande Rei!
HENRIQUE – Cara, no fundo eu acredito no que você fala, mas não da pra admitir isso na frente dos outros. Você me entende, né?
HENRIQUE SAI DE CABEÇA BAIXA.
ARRUMADEIRA – Jônatas, é melhor você parar com essa conversa de que Deus nunca erra. O rei já está começando a ficar irritado e todos aqui também.
JÔNATAS – Desculpe-me, mas não posso deixar de perceber a mão de Deus presente em tudo.
COZINHEIRA – Escute o que vou lhe falar: O rei gosta muito de você, mas se os outros súditos encherem os ouvidos dele, ele pode acabar o castigando.
ARRUMADEIRA – Só estamos lhe avisando porque isso pode custar a sua própria vida. Por favor, controle-se um pouco e não fale mais sobre isso aqui no palácio.
JÔNATAS – (fala já saindo do palco) Não se preocupem: Deus esta no controle de tudo!
COZINHEIRA – É melhor desistirmos. A cabeça dele já está feita. Só que tenho pena dele. Ele é até uma pessoa boa, mas esse fanatismo dele nos tira do sério.

RAKEL – No dia seguinte, tudo estava perfeito. O sol brilhava, a grama estava bem verdinha, os passarinhos estavam cantando e Jônatas agradecia a Deus.

JÔNATAS – Obrigado, Senhor, por mais essa manhã que tu nos concedes.
MANOELA – (tapando os ouvidos) Ah não! De novo, não! Meus ouvidos não agüentam mais
CLÁUDIA – Começou! Tava demorando!
ALEXANDRE – Esse daí a cada dia que passa fica mais pirado!
MANOELA – Você não sabe falar sobre outra coisa? Tá na hora de procurar um tratamento, você não acha?
HENRIQUE – Vamos parar com essa discussão. O Rei vem vindo aí.
REI – Hoje podemos sair para caçar. Jônatas e Eduardo, vocês vem comigo. Peguem as espingardas. Alexandre, Cláudia  e Manoela, fiquem tomando conta de tudo.

MARY – E porque o Rei só chamou os dois?
RAKEL – Porque Eduardo e Jônatas eram os mais valentes.
MARY – Ué, porque Eduardo está mancando?
RAKEL – Ah, foi porque um dia ele recebeu uma flechada bem na perna e desde esse dia passou a caminhar assim…
MARY – Ah, entendi…
RAKEL – Mas vocês não sabem o que aconteceu.
RAKEL – Na volta pro castelo um leão atacou o rei
MARY – E o que aconteceu?
RAKEL – Ele arrancou o dedo do rei fora e só não aconteceu coisa pior porque Jônatas deu um tiro e matou o leão

EDUARDO – Majestade, você está bem?
REI – NÃO!!! Estou ferido. Aquela fera arrancou o meu dedo.
EDUARDO – Vou até o palácio buscar ajuda!
JÔNATAS – Acalme-se, majestade! Deus te ajudou não permitindo que fosse devorado por aquele leão.
MANOELA – Ai, o que aconteceu Majestade?
JÔNATAS – Não se preocupem. Deus nos deu um grande livramento!
CLÁUDIA – Está maluco! Deus não ajudou em nada. Agora o Rei está sem um dos dedos da mão!
REI – E agora, o que você me diz? Deus é bom? Se Deus fosse bom mesmo, não teríamos sido atacados, e eu não teria perdido um dedo.
JÔNATAS – Meu Rei, apesar de tudo, só posso lhe dizer que Deus é perfeito, e que perder esse dedo hoje é para seu bem! Deus nunca erra!
CLÁUDIA – Como você ousa dizer que Deus não errou? Está escutando, Majestade,? O senhor deve fazer alguma coisa. Ele está maluco, pois está até alegre com o que lhe aconteceu.
JÔNATAS – Não é verdade, só estou dizendo…
CLÁUDIA – (interrompe) Cale-se! Você não vai castigá-lo, Majestade?
REI – (fala sentindo dores). É verdade, não posso ouvir isso e não tomar nenhuma atitude. Jônatas, retire o que você disse.
JÔNATAS – Majestade, o que teria sido pior: perder um dedo ou ser devorado?
CLÁUDIA – Está vendo? Ele está satisfeito com a situação!
REI – É, eu não tenho outra alternativa: Prendam esse súdito desequilibrado na cela mais escura e imunda do calabouço. Depois veremos se ele continuará dizendo que seu Deus nunca erra.

MARY – Então prenderam Jônatas?
RAKEL – Pois é, mas mesmo preso Jônatas tinha certeza de que Deus estava tomando conta tudo.

COZINHEIRA – Mas será possível que mesmo preso Jônatas continua acreditando que Deus é perfeito?
ARRUMADEIRA – Pois é. E nós ainda avisamos, mas ele não quis ouvir.
COZINHEIRA – Coitado! Acreditava que Deus estava no controle de tudo.
CLÁUDIA – Vocês precisavam ouvir as palavras de Jônatas após o ataque do leão. Ele teve a coragem de dizer que Deus tinha feito o que era melhor!
HENRIQUE – O quê? Ele falou isso? Não acredito!
COZINHEIRA – Ah, mais eu sim.
MANOELA – Oras, vocês por acaso não viam como ele se alterava aqui conversando com a gente? Pois lá ele fez a mesma coisa. O rei ferido e ele falando de Deus.
HENRIQUE – Mas foi ele quem conseguiu matar o leão, não foi?
CLÁUDIA – Foi, mas isso era a obrigação dele, pois estávamos ali pra proteger o rei
HENRIQUE – Não sei não… Jônatas não iria ficar contente com essa situação.
CLÁUDIA – Então eu estou mentindo? Eu lhe garanto que ele falou o que sempre falava por aqui: DEUS FEZ O QUE ERA MELHOR, ELE NUNCA ERRA!

MARY – Ué, e a história termina assim?
RAKEL– Não. Um dia o rei resolveu sair novamente para caçar, e dessa vez foi sozinho.
MARY – Sozinho, por quê?
RAKEL – Porque da outra vez ele perdeu um dedo, e agora ele pensava que não podia acontecer coisa pior. Só que aconteceu
MARY – Outro leão?
RAKEL – Pior! Ele foi atacado por uma tribo de índios que viviam na selva.
MARY – Ah, os índios que atiraram na perna de Eduardo?
RAKEL – Pois é. Eles amarraram o rei e iram oferecer em sacrifício ao seu Deus. Mas, quando já estava tudo pronto e o sacerdote indígena foi examinar o rei, ele deu um grito!

SACERDOTE INDÍGENA – Raios! Libertem esse homem! Ele não pode ser sacrificado! Ele não tem todos os dedos das mãos! Libertem-no agora, agora mesmo! Ele é defeituoso!
TODOS OS ÍNDIOS – Defeituoso! Defeituoso! Ele é Defeituoso? Saia já daqui
SACERDOTE INDÍGENA 2 – Como não percebemos isso antes? Quanto tempo perdido!

MARY – Legal, o rei foi solto! E depois?
RAKEL – Depois o rei ordenou que libertassem Jônatas e pediu que viesse se apresentar na presença de todos.

REI – Meu Servo, Deus realmente foi bom comigo! E você tinha razão. Deus fez o que era melhor! Eu só escapei da morte porque não tinha um dos dedos da mão.
JÔNATAS – Pois é, Deus nunca erra!
HENRIQUE – Eu já tinha quase certeza disso!
REI – É, mas ainda tenho em uma grande dúvida…
JÔNATAS – Hã? E qual é a sua dúvida?
REI – Se Deus é tão bom, por que permitiu que logo você, que tanto o defendeu, fosse preso da maneira como foi?
CLÁUDIA – É verdade…Eu também até agora não entendi porque ele não o livrou daquela prisão tão escura e mal cheirosa?
JÔNATAS – Então vocês ainda não entenderam.
EDUARDO – Então nos explique
JÔNATAS – Com todo o prazer. Prestem atenção: se eu estivesse junto com o rei nessa caçada, certamente eu teria sido sacrificado no lugar dele. Ou vocês esqueceram que a mim não falta dedo algum!
HENRIQUE – Agora já tenho coragem de admitir: DEUS É PERFEITO
CLÁUDIA – Só você não. Eu também estou convencida disso!
REI – Durante muito tempo estive enganado por não reconhecer o favor de Deus para conosco. E agora, diante de todos você,s eu declaro: VERDADEIRAMENTE TUDO O QUE DEUS FAZ É PERFEITO. DEUS NUNCA ERRA!
TODOS – DEUS NUNCA ERRA! DEUS NUNCA ERRA!
REI – E porque Deus é perfeito, Ele merece muitos aplausos. Vamos todos aplaudir esse Deus tão fiel que nunca erra!

 

Fonte: teatrocristao. net

Se gostou compartilhe!

The following two tabs change content below.
Sou o pastor Júlio Fonseca da Igreja de Deus no Brasil no município de Anhanguera - Go. Procuro ser útil na evangelização por meio deste meio de comunicação. Com paz e amor segundo nosso Senhor!

Latest posts by Pr. Julio Fonseca (see all)

Leave a Comment