2ª Parte – A Doutrina de Deus.

Nesta segunda parte sobre a Doutrina de Deus, a partir do livro “Teologia em Perguntas e Respostas” serão abordados temas como: Os Atributos de Deus, A Trindade no Antigo e Novo Testamento, Os Nomes de Deus, no Antigo e no Novo Testamento. Assim, acreditamos poder compreender um pouco mais a respeito dos ensinamentos acerca de Deus em sua própria Palavra.

1. Quais os atributos de Deus , segundo apresentados na Bíblia?

Os Atributos são Naturais e Morais. Os naturais dizem respeito à Sua natureza e morais dizem respeito ao Seu caráter.

ATRIBUTOS NATURAIS

a) Onisciência: Seu conhecimento de todas as coisas (SI 147:4.5; Rm 11:33-36; Mt 6:8 e 10:30).

b ) Onipresença: Sua presença em todos os lugares. A onisciência e a onipresença de Deus estão intimamente ligadas (SI 139:7-12; Jr 23:24; Mt 18:20).

c) Onipotência: Significa o poder de Deus ilimitado para fazer Lido quanto é da sua vontade e propósito (Gn 17:1, 18:14; Ap 1:8 ).

d) Imutabilidade: Significa que não há em Deus mudança nenhuma. Não muda de propósito, de pensamento e nem de natureza (Ml 3:6; Tg 1:17; Hb 13:8).

e) Eternidade: Sua relação com o tempo. Sua duração é sem princípio e fim (SI 41:13; II Pd 3:8 e Ap 1:8).
Kronos: Tempo do mundo natural, físico.
Kairos: Tempo do mundo espiritual, eternidade.

f) Unidade: É um ser que existe e se manifesta nos diferentes modos de sua existência (I Tm 2:5; Dt 6:4).

 
ATRIBUTOS MORAIS
 

a) Santidade: É a plenitude da excelência moral de Deus que é reverenciado como três vezes santo (Is 6:1-3).

b) Justiça ou retidão: O vocábulo retidão aplicado a Deus significa a confirmação própria de Deus em favor do que é reto e em oposição ao que é errado (Dt 32:4).

c) Amor: E a qualidade da natureza divina de se dar a si mesmo. Faz parte da essência de Deus (Jo 3:16; Rm 5:5-8; I Jo 4:7-10 e 4:16).

d) Verdade: Deus não só é a fonte e nem apenas o incentivador da verdade, Ele é a Própria verdade e sua Palavra é a verdade (Jo 1:14-17, 14:6). “…é a fonte e a base de todas as formas de conhecimento e de todas as matérias de conhecimento” (Mullins, pág. 240). “…porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas…” (Rm 1:19,20)

2. O que significa Trindade e Tri-unidade? Dentro do que ensina a Bíblia.
TRINDADE: Significa a tríplice manifestação de Deus ou a sua manifestação no Pai, no Filho e no Espírito Santo.

TRI-UNIDADE: Significa o tríplice modo da existência de Deus, que é a existência de três em um.
A Trindade diz respeito à revelação de Deus ao passo que a Tri-unidade refere-se à existência de Deus.
A ideia de Deus no Antigo Testamento é a unidade, por isso observaremos a Trindade de forma explícita somente no Novo Testamento como Pai, Filho e Espírito Santo.
TRINDADE
 

No Antigo Testamento: Não a encontraremos de forma explícita como no Novo Testamento devido à ideia de unidade (Dt 6:4). O Anjo do Senhor identificado como Jeová sendo chamado de Senhor, Deus, sendo reverenciado, adorado, recebendo oferta, etc. (Gên 16:7,13, 22:15, 31:11, Êx 3:2,4; Js 5:14; Jz 6:21-24, 13:20-22; Is. 63:9). Esse Anjo do Senhor é a manifestação de Jesus no Antigo Testamento.

O Pai como uma Pessoa distinta (Dt 32:6; Is 63:16 e Ml 2:10), O Messias (SI 2:6,7; 45:6,7; Pv 30:4; Is 9:6, 61:1 e Jr 23:5) e o Espírito Santo (Gn 1:2; Is 11:2,63:11,14).

 

“O Antigo Testamento não ensina clara e

 

diretamente sobre a Trindade. A razão é evidente: O
problema do politeísmo entre as nações. A nação de
Israel não estava preparada para compreender.
Deus primeiramente acentuou a verdade de ser o
Único Deus, para depois no Novo Testamento
tornar explícita a Trindade. Mesmo assim, parte dos
judeus teve conflito com esta verdade”.
 

No Novo Testamento:


O Pai é Deus (Jo 6:27, 14:9-13; I Pd 1:2; II Co 1:2).
O Filho é Deus (Jo 1:1.18; Tt 2:13: Hb 1:2).
O Espírito Santo é Deus (At 5:3.4; Rm 15:30: Hb 9:14).

 

TRI-UNIDADE

 

 

No Antigo Testamento:


Na criação (Gn 1:26. ELOHIM no original tem o sentido de pluralidade e significa Deus).
Na confusão de línguas (Gn 11:7).
Na experiência de Isaías (Is 6:3,8).
No Livro de Daniel (Dn 2:47).
Na benção arônica (Nm 6:24-26).
 

No Novo Testamento: No batismo de Jesus (Mt 3:13-17); na ordenança do batismo (Mt 28:19); na benção apostólica (II Co 13:13); na oração sacerdotal (Jo 17:21-23) e no ensino de João (I Jo 5:7).

3. O que significa Vestigium Dei?


Termo latino que significa “vestígios de Deus” . Trata-se da visão de que há vestígios ou indícios do Deus Único na ordem da criação, tendo Deus revelado o ser divino na criação por meio de analogias (analogia: ponto de semelhança entre coisas diferentes).
4. O que significa Vestigium Trinitalis?

Termo latino que significa “vestígios da Trindade” (oriundo provavelmente de Agostinho) e representa a busca de analogias da Trindade na estrutura tríplice de algumas coisas. Por exemplo: O homem é formado de espírito, alma e corpo. O corpo humano é formado de três partes: cabeça, tronco e membros. A célula: núcleo, citoplasma e membrana. Agostinho via um vestígio da trindade na pessoa humana, no autoconhecimento e no amor próprio das pessoas. Estes, são apenas exemplos que apenas dão uma ideia do possa ser o ‘Vestigium Trinitalis’. É melhor simplesmente afirmar a unicidade e trindade de Deus sem explanação ou ilustração do que dar uma explicação ou ilustração que possa ser enganosa ou até mesmo herética.

5. Alguns dos Nomes de Deus no Antigo Testamento?


ELOHIM: Está no original no plural e significa Deus (Gn 1:1).
EL-SHADAI: O Deus Todo-Poderoso (Gn 17:1).
EL-ELYON: O Deus-Altíssimo (Gn 14:19).
EL-OLAM: O Deus Eterno (Gn 21:33).
ADONAI: É também como ELOHIM uma palavra plural. ADONAI significa Senhor (Gn 15:2,8).
JEOVÁ OU IAVE: Este é o Nome mais pessoal de Deus usado pelos hebreus. Tem origem no verbo ser (hayah, hebraico) que tem-se crido significar o “auto-existente” (Palestras em Teologia Sistemática, pág. 25, H. C. Thiessen) ou “EU SOU” como se revela a Moisés (Ex 3:14). A versão de Almeida o traduz como Senhor.
JEOVÁ-SABAOTH: O Senhor dos Exércitos (SI 84:1; Is 1:9 e 6:3).
JEOVÁ-JIRÉH: O Senhor Proverá (Gn 22:14).
JEOVÁ-RAFÁ: O Senhor que Cura (Ex 15:26).
JEOVÁ-NISSI: O Senhor é a Minha Bandeira (Ex 17:15).
JEOVÁ-TSIKNU: O Senhor Justiça Nossa (Jr 23:6).
JEOVÁ-SHALOM: O Senhor é Paz (Jz 6:24).
JEOVÁ-RA’AH: O Senhor Meu Pastor (SI 23:1).
JEOVÁ-SHAMMAH: O Senhor está Ali (Ez 48:35).


6. alguns dos Nomes de Deus no Novo Testamento?

 

THEOS: Equivale a EL, ELOHIM e ELYON. É o mais aplicado a Deus (Mc 5:7; Lc 1:32,35; At 7:48, 16:17; Hb 7:1).

KYRIOS: Designa Deus como Senhor, o Possuidor, o Poderoso. É empregado ao Deus Pai como também ao Filho (Fp 2:11).

PATER: É empregado a Deus mesmo nas religiões pagãs. O Nome PATER já é encontrado na  Septuaginta (grego) para designar a relação de Deus com Israel (Dt 32:6; SI 103:13; Is 63:16, 64:8; Jr
3:4,19 e mais freqüentemente no Novo Testamento (Mt 5:48; 6:6; 6:9; 7:11; Jo 1:14; 2:16; 3:35; 4:24, etc).

Fonte:

CAMPOS, Geraldo M. Teologia em Perguntas e Respostas: 1ª Ed. Minas Gerais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.