Cuidado os falsos profetas existem

Visualize Word PDF

 

(I João 4:1) – AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.

(Deuteronômio 18:20) – Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.

2 Pedro 2:16   Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.

1 coríntios 12:7   Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.

8   Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;

9   E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;

10   E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.

11   Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.

Testes bíblicos das pretensões dos profetas

Baseados nos exemplos e instruções encontradas na Bíblia, podemos examinar as palavras daqueles que têm a pretensão de serem profetas, aplicando estes cinco testes:

  1. Contradição 2. Cumprimento                3. Confirmação              4. Revelação completa

Considere a importância destes quatro testes.

1. O teste da contradição  – contradiz a palavra de deus.

Deus não é a fonte de contradições, indecisão e confusão. A verdade que provém de Deus promove a unidade e não promove a divisão, o conflito ou a diversidade de doutrina. Estes princípios são a base do teste da contradição. A verdade não contradiz a verdade, portanto, duas revelações da verdade de Deus não podem ser contraditórias. Qualquer um que seja reprovado neste teste não é um profeta de Deus. Se as “profecias” de um homem contradizem aquelas feitas em outra ocasião, ele é um mentiroso, não é um profeta. Se um homem apresenta uma “revelação” que conflita com revelações prévias na Bíblia, ele é um falso mestre que tem que ser rejeitado

Gálatas 1:9   Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.

10   Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.

João 17:17–    Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade

2. O teste do cumprimento – não é realizado.

A implicação deste argumento é clara. Se suas profecias não fossem cumpridas, suas outras palavras (inclusive sua própria declaração de ser Deus) seriam falíveis. Não haveria mais razão para temer Jeová. Números 23:19 –  Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?

 Deus revelou um teste muito claro para ser aplicado àqueles que alegam falar por Ele:

Deuteronômio 18:22Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele. 3. O teste da confirmação

3. O teste da confirmação  – Deus envia sinais para confirmar sua história

Moisés revelou a palavra de Deus ao Faraó, e sua mensagem foi acompanhada por milagres para confirmar que essas palavras vinham de Deus. Jesus freqüentemente acompanhava seus ensinamentos com milagres notáveis, e ordenava aos seus apóstolos que fizessem o mesmo: “cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam” (Marcos 16:20; veja, também, Hebreus 2:3-4).

(Marcos 16:20) – E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.

(Hebreus 2:3) – Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 4 – Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?

Moisés revelou a palavra de Deus ao Faraó, e sua mensagem foi acompanhada por milagres para confirmar que essas palavras vinham de Deus.

4. O teste da revelação completa – toda revelação deve ter um propósito

Alguns desses profetas podem afirmar que seus ensinamentos estão em completa harmonia com a Bíblia e que eles realizam milagres do mesmo tipo encontrado nas Escrituras. Suas pretensões a revelar alguma coisa nova de Deus não passarão no teste da revelação completa. A Bíblia mostra que milagres, também profecias, línguas e revelações especiais de Deus, tinham um propósito específico e temporário:

I Corintios 12:7 – Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.

Alegações de inspiração e de habilidades milagrosas são hoje negações da adequação e da confiabilidade das Escrituras (veja 2 Timóteo 3:16-17).

II Timóteo 3:16 – Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; 17 – Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

A história dos profetas.

1 Reis 13:6    O profeta fez um milagre: Secou a mão de Jerobão (o rei) para mostrar que ele deveria seguir a Deus, e não outros deuses. Falou para não comer nem beber, porém depois de haver feito o milagre veio um falso profeta dizendo que Deus havia enviado anjos a sua casa e que ele já poderia comer e beber, ele ouviu o homem e comeu e bebeu, deus vendo que sua confiança era maior no homem do que nele fez com que um leão o matasse.

Você gostou desta mensagem?

0 / 0

Compartilhe:

56 visualizações
Deixe um comentário 0

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *