Encontrando a porta do coração de Deus

INTRODUÇÃO: Como econtramos a porta do coração de Deus? Não sei se você já percebeu, mas quando chega uma visita em nosso lar, feita por uma pessoa muito íntima, geralmente esta pessoa vai direto à porta adentro, e entra sem cerimônia, pois tem bastante intimidade para aquilo; as pessoas que usam a porta dos fundos, são aquelas que estão sempre em contato conosco, pessoas que tem a total liberdade dentro da nossa casa, pois “são de casa”. E olhando para este fato, eu pude perceber que é exatamente este tipo de relacionamento que Deus quer conosco, relacionamento este que nos leva a entrarmos pela porta dos fundos do coração de Deus, sem cerimônia, sem pose, mas com liberdade, intimidade; mas não basta apenas querermos entrar, precisamos achar o caminho. E é exatamente o desafio que lanço à você nesta hora, a encontrar a porta dos fundos do coração de Deus, e para isso nós vamos ver através da Palavra de Deus o “mapa da mina” para chegarmos a este lugar tão especial… e vamos fazer isso olhando para a figura dos Serafins, pois estes seres nos mostram o caminho exato para chegarmos lá.
Em Isaías cap. 6 é o único lugar na bíblia que encontramos a figura dos Serafins; sendo assim, de acordo com o texto, existem algumas particularidades nestas criaturas que são de suma importância para nós. Segundo o relato existente neste capítulo, os Serafins tinham seis asas, e cada par de asas se encontrava em lugares diferentes do seu corpo, lugares estes que tinham um significado muito especial.

Sendo assim, ao olharmos para estas criaturas, podemos aprender através do texto bíblico, o que nos é necessário para encontrarmos a porta dos fundos do coração de Deus, assim como eles o faziam constantemente; na primeira parte desta mensagem, aprenderemos olhando para estas criaturas e seus pares de asas, todos os pré-requisitos que nos dão o real acesso para os braços do Pai. E na segunda parte veremos o que acontece quando realmente encontramos este lugar tão especial.

PARTE 1 – SIGNIFICADO DOS PARES DE ASAS

1º Par de asas significava HUMILDADE

Por que razão estes seres poderosos cobriam os rostos gloriosos e belos e evitava que o profeta Isaías os visse? Porque eles não queriam impedi-lo de ver o Senhor; os serfins não tiraram o Senhor de “cena”, distraindo a atenção de Isaías ao contemplar o trono. Note-se também que, embora eles mesmos fossem criaturas santas, eles apenas falavam da santidade do Senhor e de sua Glória, pois a humildade faz parte da santidade.

Nós vemos a mesma coisa quando Jesus foi transfigurado no monte diante de seus discípulos Pedro, João e Tiago (Mateus 17:1-8). Naquele maravilhoso momento, Moisés e Elias também apareceram; lemos contudo, que os discípulos viram apenas Jesus, pois os dois profetas haviam-se afastado de diante deles. O interesse do Pai foi semelhante, pois Ele não falou aos discípulos sobre os dois grandes profetas de Israel, mas disse: “Este é o meu filho amado em quem me comprazo, a ele ouvi”.

Este é o primeiro requisito para adentrarmos na presença de Deus, se a humildade não estiver embutida na nossa bagagem ruma à presença de Deus, certamente não conseguiremos sequer chegarmos à anti-sala do seu trono.

2º Par de asas significava PUREZA

O segundo par de asas cobria os pés dos serafins; essa ação significava pureza. Ao caminhar o homem mais puro tem contato com o chão; junto ao trono não há pó naturalmente, mas o ato dos serafns era apenas simbólico, pois assinalava a necessidade de caminhar em santidade perante o Senhor. Jesus realçou essa necessidade quando parou para lavar os pés dos discípulos (João 13:10) tal limpeza era extremamente necessária.

Podemos aqui aprender, olhando para a figura dos serafins, um outro requisito importantíssimo para adentrarmos na presença de Deus, requisito este que se chama “pureza”. Enganam-se aqueles que acham que podem entrar na presença de Deus de qualquer jeito, com um tipo de pecado alojado no coração…

Lembram-se de Nadabe e Abiú (Levitico 10:1-7) morreram diante do altar porque tinham uma impureza no coração; e Ananias e Safira (Atos cap.5) estavam com a alma totalmente impura e por isso quando tiveram a pretensão de entrar na presença de Deus, caíram fulminados ao chão…

3º Par de asas significava ADORAÇÃO

Os serafins usavam o seu terceiro par de asas para voar; ao voarem eles adoravam clamando: “Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua Glória”. Como podiam estes anjos dizer que toda a terra estava cheia da Glória de Deus? Será que os anjos não sabiam da existência de guerras no mundo, ódio, cobiça e sofrimento? Sim, sabiam, mas eles viam tudo isso de uma perspectiva superior enquanto voavam diante do trono, pois tinham a perspectiva de Deus e não uma visão humana, por isso estavam preparados para adorar a Deus como Ele precisava ser adorado…

Aqui nos também podemos aprender uma lição interessante, nós só conseguimos adentrar na presença de Deus com o nosso louvor, quando estivermos totalmente desprendidos de uma visão pequena e limitada. Digo isto porque existem pessoas que só adoram a Deus quando estão com dinheiro no bolso, vendendo saúde… Mas a adoração que agrada a Deus é aquela que sai do coração quando as coisas não vão bem, quando falta dinheiro, quando o sapato está furado, quando a roupa está rasgada de tão velha, quando o arroz com feijão torna-se a única opção… é aí que nasce a mais bela adoração.

Agora que já aprendemos o que nos é necessário para encontrarmos a porta dos fundos do coração de Deus, veremos agora o que acontece quando entramos lá…

2 PARTE – ENCONTRANDO A PORTA DOS FUNDOS DO CORAÇÃO DE DEUS

1º Descobrimos quem somos de verdade. (v.5)

A bíblia nos revela que logo após o profeta ter contemplado a visão do trono, ele pôde adentrar na presença de Deus; a santidade que existia naquele lugar era tão grande, que Isaías imediatamente se vê como a pessoa mais indigna de estar ali; é neste exato momento que o profeta descobre quem é de verdade…

Este é o primeiro sintoma que experimentamos quando adentramos na presença de Deus, descobrimos quem realmente somos; é como se um espelho muito límpido estivesse diante de nós nos mostrando as mais profundas minúcias das nossas imperfeições. É lá na sala do trono que descobrimos que não somos tudo aquilo que pensávamos que éramos…

2º Experimentamos o perdão divino. (v.6-7)

Logo após Isaías ter descoberto quem ele realmente era, o texto nos revela que um dos serafins voou em direção ao profeta tendo uma brasa viva em uma das mãos; e com esta brasa o serafin tocou nos lábios do profeta e ministrou o perdão devido a sua iniqüidade. A partir daquele momento sublime, o profeta havia alcançado o perdão divino e não havia mais absolutamente nada que o impedisse de desfrutar da companhia de Deus naquele santo lugar.

Amados, quando adentramos na presença de Deus, em primeiro lugar como vimos ainda pouco, reconhecemos quem somos de verdade, e por conseqüência disso, alcançamos o perdão divino. E é exatamente isso que hoje pode acontecer com você… possivelmente você esteja aí com o coração cheio de pecado, tendo uma vida deturpada diante de Deus, mas saiba de uma coisa, hoje Deus pode perdoar o teu pecado e te fazer uma nova pessoa…

3º Alcançamos uma ousadia outrora não vista. (v.8)

O texto bíblico nos mostra que, logo após o profeta ter entrado na presença de Deus, ele descobre quem é de verdade e por conseqüência alcança o perdão divino. Depois deste processo, Isaías é revestido de uma ousadia tão grande que agora já se coloca a inteira disposição de Deus, para que o Espírito de Deus sopre e o leve aonde quiser, quando quiser e como quiser…

É exatamente isso que acontece com a nossa vida depois de termos tido um real encontro com Deus; o Senhor pega a nossa vida, a faz de novo e a usa para glória do seu nome…

CONCLUSÃO:… Leitura do Salmos 84.
Pr. Jean Delgado

Você gostou desta mensagem?

0 / 0

Compartilhe:

63 visualizações
Deixe um comentário 0

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *