Letras LMN

Não desça  da cruz seja digno do sacrifício

Não desça  da cruz seja digno do sacrifício

Salva-te a ti mesmo, descendo da cruz” 
Marcos 15.30

Introdução: Esta foi uma das frases mais ouvidas por Jesus quando estava sobre a cruz. O que aconteceria se tivesse descido da cruz? Teria negado seu próprio ensinamento: “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á…” (Mateus 16.24,25). Se Jesus tivesse descido da cruz, não teria alcançado a ressurreição.

Todos os dias somos desafiados por ‘cruzes’ que carregamos. A cruz representa o evangelho. Negar a si mesmo e fazer a vontade de Deus. Por isso, a cada instante enfrentamos situações que nos colocam na cruz, no sentido de tomar uma postura cristã ao invés de fazer a vontade da carne. Neste momento o mundo começa a te provocar para descer da cruz. Isso significa abandonar o seu propósito numa tentativa de salvar-se, mas que coloca tudo a perder.

Tudo que machuca você, te ferindo o orgulho, serve para crucificar seu ego. São situações, problemas ou pessoas que te fazem sentir-se como Jesus, com as mãos e pés presos na cruz. Sua cabeça começa a sentir espetadas como espinhos só de pensar nisso.

O que está te crucificando?

Vejamos alguns sentimentos que tentam nos fazer descer da cruz:

1- MEDO:

Jesus estava sozinho ali naquela cruz ao ponto de clamar a Deus, dizendo “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mateus 27.46). Mas Jesus venceu o medo porque decidiu ser fiel e obedecer a Deus sabendo que ressuscitaria. Não foram aqueles pregos que prenderam Jesus na cruz e sim o seu amor pela humanidade.

O medo é ameaçador e baseia-se na incerteza. Por isso o inimigo sabe que colocando dúvida consegue fazer com que muitos desçam de sua cruz.

Para vencer o medo é preciso ser fortalecido no AMOR de Deus, porque “o verdadeiro amor, lança fora todo medo” (I João 4.18). Somente através do amor de Deus é que conseguimos levar a cruz sem deixar-se vencer pelo medo.

Se você está carregando sua cruz numa situação que te traz medo e insegurança, busque o amor de Deus que preenche seu coração e te fortalece para amar até mesmo quem te ofende. Quando algo te fazer medo, não desça da cruz, permaneça firme no amor.

Você está com medo de ficar sozinho na cruz?

O amor de Deus te fortalece para levar a sua cruz!

2 – RAIVA:

As afrontas dirigidas a Jesus eram tão injustas que o Mestre poderia ter cedido à ira Divina para sair da cruz. Mas sua misericórdia pelos pecadores foi mais forte. Ele permaneceu na cruz por seis horas de dor e sofrimento até o momento certo de entregar-se pela salvação da humanidade.

A raiva é cega. Este sentimento precede a maioria das desgraças que a humanidade comete. Por causa de alguns minutos de ira, muitos perdem o que construíram por toda sua vida.

Para vencer a raiva é preciso buscar a PACIÊNCIA que é um fruto do Espírito Santo (Gálatas 5.22). Somente Deus pode aplacar a ira de um coração ofendido. Por isso é importante acalmar a ira antes que o sol se ponha e o problema cresça mais ainda (Efésios 4.26).

Muitas pessoas carregam sua cruz, mas não tem paciência de esperar o tempo suficiente. Tudo nesta vida é passageiro e os problemas passam com o tempo. Mesmo que demore, um dia chega o fim do sofrimento.

Se você está carregando uma cruz em determinada situação, como um problema de saúde ou dificuldade no emprego, por exemplo, continue lutando, mas não desista. Não deixe a raiva tomar conta de você até virar uma“raiz de amargura” (Hebreus 12.15).

Você fica irado facilmente e desce da cruz?

Tenha paciência ao carregar sua cruz!

3- ORGULHO:

Jesus sendo o Deus encarnado viu uma multidão de criaturas pecadoras condenando-o e poderia talvez pensar que não merecesse aquilo. Se o Senhor Jesus tivesse deixado de ser humilde para assumir sua dignidade de Filho de Deus, certamente teria descido da cruz.

Jesus Cristo quis morrer pelos pecadores para perdoá-los, mesmo que para isso precisasse se humilhar (Filipenses 2.1-11). O único momento que Jesus se colocou sobre os homens foi quando ficou pendurado na cruz.

O orgulho muitas vezes se disfarça de auto piedade e falsa modéstia. Mas o sentimento de obstinação e arrogância é típico do próprio satanás que quis ser igual a Deus. Onde o diabo estiver sempre haverá vontade de aparecer e mostrar que é melhor que os outros.

Para vencer o orgulho é preciso do PERDÃO que não se importa com quem está a razão, sendo disposto a absolver da culpa quem errou. Através do perdão somos capazes de vencer situações que realmente não merecemos sofrer, mas somos capacitados a vencer.

Muitos falsos amigos tentam te dizer que você não merece passar pelo que está vivendo e te aconselham a deixar tudo. Isso significaria descer da cruz e abandonar sua missão de perdoar quem está te crucificando.

Você acha que não merece carregar essa cruz?

Perdoe quem te ofende e conseguirá levar sua cruz

Suporte sua cruz!

CONCLUSÃO:

São muitas as situações que nos colocam na cruz. Certamente o mundo faz muitos convites fáceis para deixarmos nossa cruz. O inimigo tenta colocar medo, raiva e orgulho para nos convencer a negar nossa fé. Mas com amor, paciência e perdão, continuamos a viver o evangelho.

Assim como Jesus suportou sua cruz até o fim para alcançar a ressurreição, também devemos suportar tudo que nos crucifica sabendo “se morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos” (Romanos 6.8).

Você está sendo tentado a deixar sua cruz?

A recompensa da cruz é a ressurreição!

Começo lembrando-os: As tempestades da vida não anulam a vontade Deus.

Como o arco-íris, que vem depois de uma tempestade. Desconhecemos as belezas dos montes, sem estarmos no vale.

É nas profundezas das nossas angústias que obtemos as maiores vitórias. As tempestades da vida são inesperadas, e as vezes parecem terremotos. Nos pegam de surpresa e nos deixam profundamente abalados.

Mas, como seguidores de Cristo, devemos estar sempre preparados, pois aflições e tempestades da vida, fazem parte da nossa carreira cristã.

Vemos que os discípulos não conseguiram prosseguir sozinhos, precisaram clamar a Jesus, por causa do medo. Ali havia pescadores profissionais, conheciam muito bem aquela parte. Mas o que parecia controlável, ficou indomável.

E as tempestades em nossas vidas, não vem de muito longe. Muitas vezes vem de muito perto. Aquilo que era comum, torna-se diferente.

E pergunto, como conciliar obediência a Cristo com a tempestade?

Os discípulos estavam no barco pela vontade de Deus. Eles estavam no centro da vontade de Deus, E mesmo estando diante da vontade de Deus, eles passaram pelas tempestades.

Você pode estar passando por uma, por provações, perseguições, devido a sua fidelidade a Deus.

E como conciliar a tempestade diante da presença de Deus?

Um crente que anda com Jesus também enfrentará tempestades.

Como conciliar a tempestade com o sono de Jesus?

As vezes temos a sensação, de que Deus está dormindo, enquanto sofremos. Não estando atento as nossas aflições e necessidades.

Mas em Salmos 121 lemos que Deus nunca dorme.

Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do SENHOR, que fez o céu e a terra. Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda. É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita.  De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua. O SENHOR te guardará de todo mal; guardará a tua alma. O SENHOR guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre. Sl 121.