A liberdade humana e seus limites

A liberdade humana e seus limites

Texto: Gn 2: 7  – E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. 8 E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado. 9 E o SENHOR Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal. 10  E saía um rio do Éden para regar o jardim; e dali se dividia e se tornava em quatro braços.

Introdução: Deus criou um paraíso e colocou nele o homem.

1- A liberdade humana – “De toda árvore do jardim comerás livremente”.Deus colocou muitas árvores frutíferas à disposição do homem, representando tudo o que Deus nos dá para o nosso deleite. (Gênesis 2:16) – E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente,

2 – O limite – “mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás”.
Não existe liberdade absoluta. O homem precisa, desde criança, conhecer os seus limites. A árvore proibida representa aquilo que pertence a Deus, ou aquilo que pertence ao próximo, ou aquilo que nos prejudicaria de alguma forma. O que Deus nos dá é muito mais do que aquilo que ele nos nega, pede ou proíbe.

(Gênesis 2:17) – Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás;               …porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

3 – Conseqüências – “no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. As proibições divinas têm o propósito de nos proteger. Não são opressoras, mas funcionam como cerca na beira no abismo.

Muitos entendem as proibições, mais não estão preocupados com as conseqüências.

Conclusão: devemos usufruir de tudo o que Deus nos dá, mas devemos respeitar os limites que ele estabeleceu.

(Provérbios 22:28) – Não removas os antigos limites que teus pais fizeram.

O TEMA PREFERIDO DE JESUS – O Reino de Deus.

O Reino de Deus é o tema que envolve o ministério de Cristo, principalmente quando o examinamos nos escritos de Mateus.

– No seu nascimento, Jesus foi chamado, pelos magos, de Rei dos Judeus (Mt.2.2).

– Ao iniciar o seu ministério público, Jesus saiu anunciando o Reino. Ele dizia: “Arrependei-vos, porque está próximo o Reino dos céus” (Mt.4.17). A sua mensagem recebeu o nome de “evangelho do reino” (Mt.4.23 Mt.24.14).

– Quando ensinou os discípulos a orar, Jesus enfatizou o Reino: “Venha o teu reino e seja feita a tua vontade” (Mt.6.10).

– Ao enviar os discípulos em sua primeira missão, Jesus ordenou que este devia ser também o tema de sua mensagem: “Pregai que está próximo o reino dos céus” (Mt.10.7).

– Muitas das parábolas de Jesus tinham o Reino de Deus como ponto central. Em Mateus 13, o Mestre profere diversas parábolas. Cada uma ensina a respeito de um aspecto do reino.

– O próprio governador Pilatos reconheceu que Jesus era o Rei dos judeus, apesar de não ter compreendido o sentido espiritual do Reino (Mt. 27.11).

– No alto da cruz de Cristo foi escrito : “Este é Jesus, o Rei dos Judeus” (Mt. 27.37).

Por quê o Reino de Deus foi o tema preferido de Jesus? Porque este foi o objetivo de sua vinda à terra: estabelecer o Reino de Deus entre os homens. Jesus disse: “Para isso eu nasci e vim ao mundo” (João 18.37). É verdade que Jesus cura, resolve nossos problemas e pode nos dar bênçãos materiais diversas, mas nada disso é o seu objetivo principal. Seu propósito é estabelecer o Reino de Deus em nós e isto é um modo de vida. Viver no Reino é evitar o pecado, é fazer a vontade de Deus. Jesus viveu assim e nos deu o exemplo. Que o Reino de Deus seja também o nosso tema preferido e o objetivo principal das nossas vidas. Para isso nascemos, pelo Reino devemos viver e até por ele morrer, se preciso for.

2 coríntius 12: 1 – EM verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. 2 Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. 3 E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) 4 Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar. 5 De alguém assim me gloriarei eu, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas. 6     Porque, se quiser gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas deixo isto, para que ninguém cuide de mim mais do que em mim vê ou de mim ouve.

Anísio Teixeira

prjulio


Pastor da Igreja de Deus no Brasil há 19 anos, hoje atuando em Catalão no bairro Santa Terezinha, pai de 5 filhos casado com Marta Valéria.